Processo ao telemarketing: saiba como se resguardar

4 minutos para ler

Não é raro conhecer uma pessoa que reclama de ligações insistentes de empresas de telemarketing. De acordo com os órgãos que defendem o consumidor, a prática pode ser interpretada como inconveniente e invasiva. Dessa forma, o cliente pode processar a companhia por comportamento abusivo e danos morais.

O dano acontece quando o comprador é exposto a situações humilhantes ou degradantes. Ou seja, quando a empresa demonstra um comportamento considerado invasivo, o cliente passa a ter o direito de ir atrás de uma ação indenizatória.

Em casos de processar telemarketing, os desgastes podem ser irreparáveis para a organização. Para evitar isso, vamos mostrar, neste texto, os processos mais comuns e algumas ideias sobre como uma empresa de call center consegue se resguardar. Confira!

Processos mais comuns

Afinal de contas, em quais situações o consumidor pode processar telemarketing? Nas relações de consumo, vários casos podem ser entendidos como abusivos. Entre eles, destacamos:

  • a dívida é paga e o nome da pessoa permanece em cadastros negativos: quando um consumidor se livra de uma pendência, o fornecedor tem a obrigação de retirá-lo da lista de cadastros restritivos. Se isso não acontece, causará danos à pessoa;
  • cheque em conta conjunta: só o nome de quem assinou pode configurar nos cadastros negativos. Cabe indenização ao cotitular emitente do cheque se o seu nome estiver em registros negativos;
  • cobranças que expõem a pessoa ao ridículo: o Código de Defesa do Consumidor estabelece que, independentemente das pendências, todos devem ser tratados com dignidade e respeito. Se existir casos de humilhação na cobrança de dívidas, por exemplo, podem ser geradas situações de danos morais;
  • cartão de crédito bloqueado sem aviso prévio: esse tipo de situação é capaz de gerar diversos problemas para uma pessoa. Pode ser vexatório e gerar danos morais, passíveis de indenização.

Atuação dentro da lei

Descrevemos acima alguns dos processos mais comuns. Para que isso não aconteça, é indispensável que a companhia organize suas ações, de forma que a equipe esteja preparada para atuar dentro da lei e abordar o cliente de maneira correta e eficiente.

É possível que a organização seja proativa e preventiva para evitar uma crise e assegurar seu sucesso no mercado. Vale reforçar que é muito mais simples e eficiente se precaver, a ter que passar por uma situação de retratação com um consumidor.

Em relação às grandes empresas de telefonia, por exemplo, é muito comum vermos casos polêmicos. Vez ou outra, a mídia veicula matérias de companhias comunicando que vão analisar as reclamações e corrigir as possíveis falhas.

Mesmo com funcionários orientados a seguir as regras e as leis, muitas organizações ainda insistem em erros que, não raro, são considerados primários. As leis de proteção ao consumidor devem ser conhecidas profundamente e revisadas periodicamente.

Isso evita desgaste para o consumidor e, principalmente, livra o telemarketing de eventuais processos e pagamentos de indenizações.

Você já havia pensando nesse tipo de situação em que o usuário pode processar telemarketing? Na sua empresa, todo o time tem seguido as regras que asseguram a intimidade, a privacidade e o respeito ao consumidor? Agindo dessa forma, a companhia passa a ser bem-vista e conquista credibilidade e ótimos resultados.

Se você gostou deste artigo, é bem provável que também terá interesse em nossos outros conteúdos. Por isso, não deixe de assinar a nossa newsletter e receber atualizações em seu e-mail, que podem ser cruciais para o crescimento do seu negócio.

Posts relacionados

Deixe um comentário

Share This
Navegação